Conheça o SENAR

O SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional de Minas Gerais) é responsável pela capacitação profissional e promoção social do produtor, do trabalhador rural e seus familiares.

Cursos

O SENAR MINAS oferece mais de 300 cursos nas áreas de Formação Profissional Rural e Promoção Social, gratuitos e voltados para capacitação e qualidade de vida do produtor e trabalhador rural e suas famílias.

Instrutor Mobilizador Licitações
Compartilhe

Seminário agro leva mais conhecimento para produtores de Tabuleiro

EVENTO
ESCRITO POR FLÁVIO CHRISTO, DE JUIZ DE FORA
23/09/2022 . SINDICATOS, SENAR, FAEMG

O Sistema Faemg, por meio do Sindicato dos Produtores Rurais de Tabuleiro, realizou o 1º Encontro Agro de Produtores Rurais de Tabuleiro e Região, nessa quinta-feira (22/9). A programação contou com quatro palestras sobre temas ambientais, técnicas para a produção de leite e sobre o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG). O evento foi mais uma ação para ampliar a aproximação com os produtores.

Nem a chuva impediu a presença maciça dos produtores no encontro. Cerca de 100 pessoas encheram o espaço para conferir temas que possibilitam otimizações na propriedade, aumento na lucratividade e manutenção da atividade na região.

A primeira apresentação abordou técnicas de conservação de água e solo, com o instrutor do Senar, Antônio Amaral. Em seguida, foi a vez do supervisor do Programa ATeG na região, Fábio Silveira, que ensinou o método de silagem do milho reidratado. A qualidade do leite foi o tema da palestra do técnico do ATeG Balde Cheio Pedro Marcos Torres. Ao final, o gerente regional do Sistema Faemg em Juiz de Fora, Wander Magalhães, destacou a importância da assistência técnica e gerencial para a propriedade rural.

Também participaram do evento o analista supervisor regional do Sistema Faemg, Aluízio Guimarães; o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Tabuleiro, Paulo Henrique Castro; o prefeito Ailton Ferraz e vereadores do município.

“O Sistema vestiu a camisa do interior do estado, priorizando cada vez mais essas regiões. Este evento representa uma grande ajuda para os produtores de leite da cidade”, afirmou Aluízio Guimarães.

Para Wander Magalhães, o evento motivou os mobilizadores e associados da região. “Apresentamos temas pertinentes para o produtor e opções de renda e melhoria do faturamento”.

Diante da primeira edição do evento, o presidente do SPR disse que a sensação é de dever cumprido. “É uma oportunidade de reencontrar o produtor e mostrar para ele que é importante e vantajoso fazer parte do sindicato”.

Uma das maiores responsáveis pelo sucesso do evento foi a mobilizadora Camila Souza, que fez uma divulgação quase de porta em porta, convocando os produtores para o encontro. “Foi um sucesso, um sentimento de realização por ter atingido todas essas pessoas, que agora conhecem nosso trabalho, o fortalece o sindicato”.

Para o prefeito de Tabuleiro, essa iniciativa auxilia na economia do município. “Traz conhecimento e agrega para o desenvolvimento do agro no município. Os produtores ficam mais atentos à economia e isso aumenta a renda da população da cidade”.

Meio Ambiente

O instrutor Antônio Amaral apresentou técnicas de conservação do meio ambiente e recuperação de áreas degradadas. Ele apresentou exemplos e destacou o crédito de carbono como alternativa de receita para os produtores.

“Essa é uma grande oportunidade de faturamento para o produtor e com duplo ganho. Além de melhorar a conservação ambiental na sua região, com a recuperação de pastagens e o plantio de espécies nativas, aumenta a lucratividade da propriedade, que vai passar a receber pela conservação do meio ambiente por meio do pagamento por serviços ambientais (PSA)”.

Nutrição animal

Fábio Silveira explicou como a lucratividade pode aumentar utilizando uma alimentação de qualidade e mais barata, a silagem de milho reidratado, que pode gerar até R$ 0,25 de economia por quilo de concentrado. Ele explicou que, quando o milho é oferecido diretamente para o gado, grande parte dos nutrientes é perdida, pois ele é de difícil digestão. Com a silagem, aumenta a digestibilidade do produto, aproveitando melhor o amido presente no milho.

“A digestibilidade passa de cerca de 54%, em alguns casos, para mais de 70% do amido. Isso melhora a qualidade e diminui o preço do concentrado, que chega a comprometer até 60% dos custos de produção, podendo cair para menos de 30%. Com melhor aproveitamento, menor será o consumo, reduzindo a quantidade de concentrado por litro de leite”, explicou.

Qualidade do leite

O médico veterinário Pedro Marcos Pontes, técnico do ATeG em Santos Dumont, apresentou as principais características que são levadas em conta na análise da qualidade do leite.

“Devemos nos preocupar com a qualidade do leite principalmente por segurança alimentar, melhor remuneração, rendimento industrial e respeito às legislações atuais. É necessário analisar se o leite está livre de antibióticos, antiparasitários, com baixa contagem de células somáticas (CCS) e baixa contagem de bactérias total (CBT). Quando esses parâmetros estão dentro de um nível de qualidade bom, o laticínio paga melhor ao produtor, que consegue um valor maior no litro do produto”.

Programa ATeG

Wander Magalhães apresentou as principais vantagens da assistência técnica e gerencial. “Hoje a propriedade precisa estar atualizada com novas tecnologias que a colocam em situação competitiva no mercado. A ATeG permite ao produtor uma melhor administração e controle dos custos, melhor precificação do produto e melhores oportunidades de negociação e vendas”.

Aprovação dos participantes

No evento, pequenos produtores, com produção diária entre 30 e 40 litros de leite, que não têm acesso a assistência técnica e inovações, puderam aprender novas técnicas para alimentação, saúde, administração da propriedade e conservação do meio ambiente.

Jonathan Toledo, que cria gado de corte, aprendeu sobre alimentação com a silagem de milho reidratado e também enxergou um bom ramo de atuação no PSA. “Não conhecia sobre essas questões que envolvem as áreas de preservação permanentes e a recuperação de áreas degradadas, podendo receber pelo cercamento e pela preservação dessas áreas. Sobre o milho, mesmo para quem cria gado em confinamento, essa pode ser uma boa opção para engorda e economia com ração e concentrado”.

Milton Gonçalves é criador de gado de leite e vende sua pequena produção para laticínios da região. “Eu nunca tinha ouvido falar sobre o que era CCS e CBT. A gente até conhece uma técnica ou outra, mas falta ajuda, alguém para ensinar como faz. O Programa de Assistência Técnica e Gerencial seria muito bom”, afirmou.

Na propriedade de André Batista Marcelino, a seca castigou o gado. Ele relatou forte queda na produção nos últimos meses. Durante o seminário, ele aprendeu a melhorar a alimentação animal usando o fubá, gerando economia. “Um dos maiores gastos que tenho atualmente é com a ração. Vou fazer a mistura de soja e milho e trabalhar o concentrado que aprendi na palestra. Espero gerar economia, aumentar a minha produção e melhorar o custo do meu produto”.

O 1º Encontro Agro de Produtores Rurais de Tabuleiro e Região foi gratuito, aberto ao público e teve sorteio de brindes, com cestas de produtos da região, doces, chapéus e cooler. O evento foi uma parceria do Sistema Faemg com a Emater, Prefeitura de Tabuleiro, Sicredi e Laticínios Souvenir.