Compartilhe

Workshops inéditos aprimoram trabalho de equipes do Programa ATeG

ASSISTÊNCIA TÉCNICA E GERENCIAL
ESCRITO POR SEDE, BELO HORIZONTE
07/12/2021 . SISTEMA FAEMG, SENAR

Vinte supervisores que atuam com bovinocultura de leite foram os primeiros participantes da série de workshops oferecida pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG às suas equipes de campo. O primeiro, sobre qualidade do leite, foi realizado de 3 a 5 de dezembro e a expectativa é que o conhecimento seja replicado para os técnicos de campo aplicarem o aprendizado nas visitas técnicas. 

A Fazenda Experimental Professor Hélio Barbosa, em Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte, será a sede dos treinamentos. A equipe do Departamento de Veterinária de UFMG ministrará as aulas, já como uma ação da parceria que a Escola de Medicina Veterinária da UFMG e o Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos firmaram no início deste ano. Na abertura do primeiro curso, o superintendente do SENAR MINAS, Christiano Nascif, disse que esses treinamentos são só os primeiros e podem ser oferecidos para outras cadeias também.

“Independente do porte do produtor atendido, façamos nosso trabalho com muita qualidade, com muito respeito e empenho, para retornar ao produtor um investimento de qualidade e cumprir o papel da Assistência Técnica e Gerencial de transformar vidas. Essa é uma função muito nobre e de muita responsabilidade. Temos que pensar nisso com muito orgulho, vocês têm um papel fundamental nisso” – Christiano Nascif

“Estamos extremamente felizes de poder trocar conhecimento com vocês, que têm experiência de campo, experiência com o produtor rural. Nós somos instituições parceiras e irmãs no sentido de termos o mesmo objetivo, de treinamento e formação de profissionais para aprimorar a agricultura brasileira” - Zélia Lobato, diretora da Escola de Veterinária da UFMG

A partir da esquerda: Mônica Pinho, Zélia Lobato, Christiano Nascif e Bruno Rocha de Melo

“É importante para a gente ter iniciado uma proposta como essa porque precisamos estar sempre nos reciclando. Esse é um processo que não é pontual, mas de médio e longo prazo. É um investimento muito forte que estamos fazendo e que pode ser usado não só no ATeG, mas para a vida. Espero que essa parceria com a UFMG não se encerre nesses treinamentos, mas vá muito além” – Bruno Rocha de Melo, gerente de Assistência Técnica e Gerencial do Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos.

Vantagens para os dois lados

“Esses três dias de curso foram muito importantes para estabelecermos uma base de conhecimento entre os supervisores e, dessa forma, repassar para os técnicos trabalharem nas fazendas com legislação atual e atendendo a demanda de qualidade do leite que o mercado exige, sendo que, ultimamente, o mercado está exigindo não só leite de qualidade, mas também fazendas com sustentabilidade de produção” – Ricardo Lignani, zootecnista, supervisor do Programa ATeG Balde Cheio na regional de Governador Valadares

O primeiro dia contou com aula da professora Mônica Pinho sobre qualidade do leite

“Esse foi um dos melhores cursos que já participei, porque conseguiram reunir os maiores nomes da qualidade do leite, sendo profissionais muito experientes que também atuam em campo, na extensão rural. A organização também foi perfeita, pois seguiu uma ordem dos temas que deixou tudo de fácil entendimento. A melhoria da qualidade do leite é fundamental para o desenvolvimento da cadeia leiteira e tem sido uma demanda cada vez maior dos produtores e técnicos a respeito do assunto. Eu como supervisor, me sinto agora mais preparado para orientar os técnicos e produtores. O treinamento veio para acrescentar muito na minha vida profissional e espero poder passar isso para os profissionais que eu supervisiono.” - Leonardo Cotta Quintão, médico veterinário, supervisor nas regiões de Guanhães e Viçosa

“O local e os palestrantes de ponta foram fundamentais para a imersão, nos permitindo focar no aprimoramento do conhecimento. Além disso, o encontro com outros supervisores nos aproximou tecnicamente, com muita troca de experiência. Já anseio por poder compartilhar tanto aprendizado com os técnicos sob minha supervisão. Só tenho a agradecer pela oportunidade por tamanha experiência profissional e pessoal, espero poder participar de outras capacitações como essa. Esses valores com certeza somarão à minha atuação como supervisora e como técnica de campo” – Abigair Duarte Matias, zootecnista, supervisora no Programa AgroNordeste

Aula prática: participantes elogiaram os conteúdos do workshop

Próximos treinamentos

Os workshops são uma imersão, com partes teóricas e práticas. Este primeiro teve avaliação positiva de mais de 80% dos participantes. Os temas foram escolhidos de forma a aprimorar pontos específicos da atuação da equipe em pecuária de corte e de leite, como explica o coordenador de bovinocultura do Programa ATeG, Rafael Rocha. “Os próximos cursos devem abranger criação de bezerras e indicadores reprodutivos, mas, se surgirem novas necessidades, outros podem ser inseridos”, acrescentou. 

Para 2022, estão previstas mais 10 capacitações. Rafael Rocha acredita que a proposta trará conhecimento de qualidade e bastante atualizado, já que vem direto do ambiente acadêmico. “Temos certeza que o Programa ATeG será beneficiado com um corpo técnico altamente qualificado, apresentando ao produtor, cada vez mais, as melhores soluções para seus problemas”, analisa o coordenador. Técnicos e supervisores poderão participar de mais de um workshop.