Compartilhe


Mais uma vez, agro puxa PIB brasileiro

PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA E SEGURANÇA ALIMENTAR
ESCRITO POR IZAMARA ARCANJO, DE BELO HORIZONTE
01/06/2023 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, INAES, FAEMG

Setor cresceu 21,6% no primeiro trimestre; Incremento foi bem superior às expectativas de mercado, que apontavam 10,3%

O Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário registrou um crescimento de 21,6% no primeiro trimestre de 2023 na comparação ao 4º trimestre de 2022, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta foi a maior variação positiva desde 1996 e ajudou puxar o PIB brasileiro que teve um aumento de 1,9% nos três primeiros meses de 2023, na comparação com o último trimestre do ano passado.

O PIB, que é a soma dos bens e serviços finais produzidos no Brasil, chegou a R$ 2,6 trilhões em valores correntes. A participação da agropecuária (tudo o que é produzido nas propriedades rurais) gerou um PIB de R$ 259,7 bilhões ao país. “O investimento em conhecimento e modernização no campo, ao longo dos anos, transformou o agronegócio do Brasil em um dos grandes propulsores do desenvolvimento nacional. Sabemos que são muitos os desafios que enfrentamos todos os dias, mas os produtores e produtoras rurais demonstram a força produtiva diariamente. Pretendemos continuar avançando, pois entendemos que esse é o caminho para gerar riquezas à sociedade, como um todo, e garantir a segurança alimentar no Brasil e no mundo”, avaliou o presidente do Sistema Faemg Senar, Antônio Pitangui de Salvo.

A alta veio acima da média das projeções de analistas de consultorias e instituições do mercado financeiro, que apontavam um crescimento de 10,3%. Em comparação ao primeiro trimestre de 2022, o PIB do agro cresceu 18,8%. A média das expectativas de crescimento era de 12,3%.

Esse foi apenas a quinta vez na série histórica, iniciada no primeiro trimestre de 1996, que a agropecuária cresceu na casa dos dois dígitos ante o trimestre anterior. Os demais, além do quarto trimestre de 1996, foram o crescimento de 12,5% no segundo trimestre de 2012, a alta de 11,3% no terceiro trimestre de 2012 e o avanço de 12% no primeiro trimestre de 2017.

De acordo com assessora técnica do Sistema Faemg Senar, Aline Veloso, esse aumento significativo do PIB agropecuário no primeiro trimestre 2023 tem como destaque as importantes culturas que são colhidas no país, como a soja, que é o principal grão no Brasil e que teve ampliação do volume produzido (aumento de 22,4% ou 28,1 milhões de toneladas, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB). Com exceção do arroz (- 7,5%), outras culturas com safra relevante nesse trimestre também apontaram crescimento na produção anual e ganho de produtividade, como milho (8,8%), fumo (3,0%) e mandioca (2,1%). “Essas também são importantes culturas produzidas em Minas Gerais, especialmente nas regiões Noroeste, Triângulo e Alto Paraíba, Central. Também se observa crescimento na produtividade de diversas lavouras.

Minas Gerais é o maior produtor e exportador de café do Brasil

 

Outras atividades

“Além desses grãos, também podemos citar o aumento do abate de animais no primeiro trimestre do ano”, avalia Aline Veloso.  Segundo o IBGE, o abate de frangos cresceu 4,8% (3,43 milhões de toneladas); o abate de bovinos cresceu 4,7% (resultado preliminar aponta uma produção de 1,90 milhão de toneladas de carcaças) e o abate de suínos teve alta 3,5% (o peso acumulado das carcaças atingiu 1,29 milhão de toneladas)

No caso do leite cru, a aquisição feita pelos estabelecimentos que atuam sob inspeção sanitária municipal, estadual ou federal foi de 5,85 bilhões de litros.  Já os ovos de galinha alcançaram 1,02 bilhão de dúzias.

Os preços dos produtos agropecuários no 1º trimestre também oscilaram positivamente. Destaques para algodão, banana, feijão, batata, mandioca, tomate, ovos, suínos, abacaxi, laranja.

 

}