Compartilhe


Após ATeG, apiário vira fonte de renda principal de casal

CASO DE SUCESSO
ESCRITO POR JULIANA FIDELIS, DE UBERABA
06/06/2024 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR

“Hoje nós vivemos exclusivamente do apiário. O grande diferencial no programa ATeG foi o aprendizado na área gerencial, que permitiu transformar nossa atividade em primeira fonte de renda da família”, afirmou a apicultora Laís Rabelo Lavareda. Depois de um ano e meio de assistência, ela e o marido Vinícius da Silva Soares vivem com os filhos em uma propriedade no município de Araguari e cultivam 60 colmeias para a produção de mel.

Produção de mel na propriedade de Laís e Vinícius em Araguari

Em novembro de 2022, quando ingressaram na primeira turma do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Apicultura do Sistema Faemg Senar na região do Triângulo Mineiro, a família morava na cidade, onde Vinícius trabalhava como gerente de produção no setor de autopeças. Neste período, eles arrendavam um local para o apiário, onde mantinham 20 colmeias para criação de abelhas. Com as orientações do técnico de campo Gabriel Mendes Oliva, especialmente em relação à gestão do negócio, o casal conseguiu triplicar a quantidade de colmeias e regularizar a comercialização do Reinado do Mel - Apiário VS, que se tornou o sustento da família.   

“Nós procuramos a assistência para ter orientação em relação à parte gerencial, principalmente. No ATeG, começamos a entender quanto gastava na produção e a fazer o controle financeiro. Começamos a ir nos primeiros eventos e ter uma boa aceitação do nosso produto. Então, decidimos terceirizar a inspeção para um entreposto onde é feita a análise e rotulagem do produto e, desta forma, nos legalizamos. No ano passado, arrendamos uma fazenda de 3,5 alqueires para ampliar a produção”, explicou Laís.

Laís e seu filho Marcos Aurélio expondo os produtos do Reinado do Mel durante a ExpoZebu, em Uberaba

Orientações técnicas

O técnico de campo destacou que o suporte gerencial incluído no ATeG ajudou a apicultora a desenvolver e implementar um plano de negócios sólido, que trouxe mais clareza e direção para suas operações. “O controle rigoroso de custos e o planejamento financeiro detalhado permitiram uma gestão mais eficiente dos recursos, minimizando desperdícios e maximizando lucros. Ela tem se dedicado intensamente e mostrado uma evolução notável”, completou.

De acordo com Gabriel Oliva, a assistência do ATeG também incluiu a introdução de práticas de sustentabilidade, que são cruciais para a preservação das abelhas e do ecossistema local. “Essas práticas não apenas contribuem para a saúde das colmeias, mas também melhoram a imagem da marca de Laís no mercado, atraindo consumidores conscientes e preocupados com o meio ambiente”, afirmou. Para adquirir mais conhecimento, Laís também participou de vários cursos do Sistema Faemg Senar, como produção de rainhas, associativismo e cooperativismo, manejo avançado, entre outros.

Técnico de campo Gabriel Oliva com o casal de apicultores Laís e Vinícius

Na propriedade arrendada, além do apiário com mais colmeias, o casal de produtores mantém um berçário para estudo de manejo e produção de rainhas, onde também promovem cursos para apicultores iniciantes. “Com mais colmeias, triplicamos a nossa produção e hoje participamos de grandes feiras do agronegócio comercializando o nosso mel. Meu marido deixou o antigo trabalho e hoje toda a família se dedica à atividade rural. Nossa gratidão ao Sistema Faemg Senar por toda assistência para o nosso empreendimento”, comentou Laís.

Para o técnico de campo, a evolução da Laís na gestão da apicultura é um testemunho do impacto positivo do ATeG. “A transformação de sua atividade, agora mais organizada, sustentável e lucrativa, é um exemplo claro de como a orientação gerencial adequada pode fazer a diferença no desenvolvimento e crescimento de uma atividade agrícola”, finalizou.

Dia de Campo promovido na propriedade em Araguari

Planos para o futuro

Com o Reinado do Mel prosperando, Laís faz planos para o futuro. Um deles é ampliar os pontos de venda para dois locais fixos em Araguari e ainda potencializar as vendas online por meio do site que está sendo desenvolvido. Hoje, eles já comercializam em eventos, na feira livre do município e por meio das redes sociais (@apiario.vs). Além do mel, que pode ser encontrado em vários tamanhos, desde sachês até embalagens de 1,4 quilo, eles também mantêm uma linha de produtos feitos com matérias-primas terceirizadas, como pólen, própolis e cera de abelha. 

Outro projeto é investir no turismo rural na apicultura, com atividades na propriedade. Laís também já trabalha a sucessão familiar, com a inserção do filho mais velho, Marcos Aurélio Lavareda, no negócio da família. “Ele está ampliando o nosso mercado, com a comercialização de materiais que são utilizados na apicultura”, destacou.

“Laís é uma grande incentivadora desta cadeia produtiva e está se tornando uma referência na região. Inclusive, neste mês promovemos um Dia de Campo em sua propriedade, que foi uma oportunidade para outros apicultores conhecerem o potencial do processo de transformação do programa ATeG. Com a conclusão do primeiro grupo, em novembro, nossa intenção é formar mais uma turma do ATeG na região”, concluiu o gerente regional do Sistema Faemg Senar em Uberaba, Ricardo Tuller.

}