Conheça a FAEMG

A FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) defende os interesses dos produtores rurais do estado.

Crédito Rural

Veja informações sobre os financiamentos destinados aos produtores rurais, cooperativas ou associações para fomentar a produção e comercialização de produtos agropecuários.

Informações Jurídicas

Acesse os documentos disponibilizados pela Assessoria Jurídica para auxiliar os produtores rurais.

Contribuição Sindical
Leiloeiros Rurais

Veja todas as informações sobre os leiloeiros rurais do estado de Minas Gerais.

Compartilhe


Sistema Faemg fará pesquisa com os Sindicatos de Produtores Rurais

PESQUISA
ESCRITO POR JANAINA ROCHIDO, DE BELO HORIZONTE
26/08/2022 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, FAEMG

O Sistema Faemg se prepara para fazer o mais completo raio-x dos Sindicatos de Produtores Rurais de Minas Gerais já realizado. Trata-se da Pesquisa de Clima Sindical, uma iniciativa que começa a rodar em 1º de setembro para investigar a fundo a realidade de todas as entidades que compõem o sistema sindical rural e gerar um diagnóstico para aprimorar a relação com esses parceiros.

Serão aplicados questionários aos 387 sindicatos que integram o Sistema, como explica o gerente de Planejamento Celso Furtado Júnior. “Esse diagnóstico vai nos mostrar os pontos-chave passíveis de aprimoramento no contexto da atuação do Sistema Faemg e da interação com os sindicatos, e identificar sugestões de melhorias”, detalhou, comparando a iniciativa a um ‘censo’.

Celso Furtado Júnior - iniciativa é inédita

“O objetivo desta instituição é atender ao produtor rural e só poderemos fazer isso se soubermos quem é ele”, pontuou o presidente do Sistema Faemg, Antônio de Salvo. E para que isso ocorra, “é preciso existir mais integração e conversa entre os envolvidos. O Sistema Faemg não pode ficar distante dos sindicatos que representa. Não dá para representar alguém sem saber o que esse alguém quer e como esse alguém está. Reforço a importância dessa entrevista, porque ela inicia o rumo para uma representatividade do jeito que o nosso povo quer”, afirmou.

Os questionários serão aplicados pelos agentes de desenvolvimento rural (ADR) selecionados pelas regionais, que passaram por treinamento nesta semana em Belo Horizonte. A Universidade Federal de Viçosa (UFV) elaborou os questionários em conjunto com o Sistema Faemg, foi responsável pelo treinamento e fará o processamento das informações e o relatório final.

O presidente Antônio de Salvo

Entender para solucionar

O vice-presidente do Sistema Faemg, Renato Laguardia, ressaltou que a diretoria entende as dores dos Sindicatos Rurais e essa pesquisa foi uma das primeiras definições da gestão. “Esse vai ser um trabalho histórico e vamos nos dirigir aos sindicatos a partir desses resultados. Essa tarefa precisa ser muito bem feita, com muita tranquilidade, para os presidentes se sentirem à vontade para falar o que precisam. Contamos com vocês”.

“Quando propomos um trabalho deste porte, temos um momento de virada do agro mineiro. Quando entendemos de fato o que acontece no sindicato, estamos fortalecendo o agro mineiro e vocês estão sendo escolhidos como protagonistas dessa história”, disse o superintendente do Senar Minas e diretor técnico do Sistema Faemg, Christiano Nascif. “Precisamos entender muito bem o problema para atacar cirurgicamente com a solução”, ponderou.

Renato Laguardia
Christiano Nascif

Para Celso Furtado Júnior, esse diagnóstico é a ciência aplicada ao trabalho do Sistema Faemg. “Não tenho dúvida nenhuma de que sempre que a ciência vem na frente os resultados são promissores. A pesquisa é um mergulho juntos aos nossos representantes nas bases para que possamos melhorar nossos serviços e produtos”, destacou.

Metodologia

O treinamento para os agentes foi ministrado pelos pesquisadores da UFV Viviani Lírio e Altair Moura, do Departamento de Economia Rural da universidade. A capacitação de dois dias abrangeu uma análise detalhada dos questionários, simulação da entrevista e entrevistas cruzadas entre os pares de agentes.

Os professores Altair Moura e Viviani Lírio

O professor Altair Moura conta que vem de alguns meses a percepção da necessidade de mudar o processo de interação do Sistema Faemg com suas bases e reforça que a pesquisa é um trabalho multidisciplinar entre o Sistema e a universidade. A professora Viviani Lírio acrescenta que “o bom relacionamento que já existe entre os ADRs é precioso para o trabalho”.

Treinamento incluiu simulações das entrevistas

Expectativa

José Carlos da Silva, instrutor e ADR no Sindicato dos Produtores Rurais de Guaranésia, disse que é uma honra ter sido um dos selecionados para aplicar o questionário e que o conhecimento adquirido nos dois dias de treinamento agregou muito. “Acredito que essa aproximação do Sistema Faemg com os sindicatos, produtores e ADRs é fundamental e já era esperada há muito tempo. Um não existe sem o outro, somos uma família. Tenho certeza de que os resultados serão maravilhosos, estou muito empolgado”.

Cirânio Souza, que atua pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Águas Formosas, acha que a principal importância da pesquisa será trazer para o Sistema as dificuldades da ponta. “São muitos desafios. Só quem está lá na ponta para saber o que é. E, como foi dito aqui, nunca teve uma proximidade como essa de agora”, opinou. Ele também elogiou bastante o treinamento. “A qualidade dos professores da UFV é incontestável, a estrutura para nos receber é muito boa e o conhecimento que levamos serve não só para esse trabalho, mas para a vida”.

ADRs foram selecionados pelas regionais

Do Sindicato dos Produtores Rurais de Presidente Olegário, a ADR Iolanda Corrêa afirma que cada vez que vem à sede é um novo aprendizado. “Saio com as baterias recarregadas e muito feliz”. Para ela, essa iniciativa é muito boa e muito necessária. “Às vezes a gente tinha um certo receio de se dirigir à federação, mas, pelo que estamos vendo, vamos ser todos uma família maior. Penso que a escolha dos ADRs para aplicar a pesquisa foi acertada, porque já temos contato com o pequeno produtor, com os sindicatos e presidentes, é o nosso dia a dia”, concluiu.

}