Segunda Feira Segura de Minas Gerais é sucesso em Carmo do Rio Claro

A Feira Segura realizada em Carmo do Rio Claro no último domingo, 19 de julho, foi um sucesso. Produtores rurais integrantes da agricultura familiar puderam voltar as atividades, depois de 100 dias parados, através do projeto da CNA que proporciona um ambiente seguro para produtores e consumidores.

A Feira realizada pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES teve como parceiros o Sindicato dos Produtores Rurais, Emater e Prefeitura Municipal. Esta foi a segunda Feira realizada nesse formato no Estado, a primeira aconteceu em Boa Esperança.  

No formato Feira Segura, os produtores passam por treinamentos ministrados pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES sobre a higienização dos alimentos e sobre a prevenção do coronavirus. Não há manipulação de alimentos no local e todos os produtos são embalados. Os feirantes usam equipamentos de proteção individual (EPIs - máscaras, luvas, toucas e avental) e as barracas mantém distanciamento entre elas.

Produtores e consumidores

A produtora Magda Santos (abaixo), que trabalha com verduras e legumes desde fevereiro, teve que passar por várias adaptações para manter a comercialização da sua produção. Vendendo com sucesso na feira, teve a atividade suspensa em março devido a pandemia. Começou a vender através das redes sociais e agora retorna a Feira com boa expectativa. Desta vez as vendas foram acontecendo gradativamente, mas ela acredita no aumento, assim que os consumidores entenderem que o trabalho está sendo realizado com segurança para todos.

Thaiane Cristina Gonçalves de Carvalho destacou o aprendizado de todos no primeiro dia da Feira com consumidores querendo tocar nos produtos e como foi mais fácil explicar aos clientes que a embalagem é uma questão de segurança para todos. “Eu fiquei apreensiva em explicar aos consumidores os novos protocolos de segurança, mas eles entenderam e receberam bem a informação”, disse a feirante.

A Feira também repercutiu nas redes sociais. A jornalista e consumidora Lucíola Zvarick registrou imagens com os dizeres: “Domingo feliz! Volta da Feira da Agricultura Familiar em Carmo do Rio Claro - MG. Seguindo todos os protocolos sanitários! Hortaliças, queijos e coalhada, doces de frutas, confit de carne de porco, frango caipira, pimentas, mel, quitandas, entre elas o "pau-a-pique... hummm!”.

O final da Feira mostrou o sucesso do evento, apesar da apreensão natural diante do momento vivido por todos em decorrência da pandemia. Barracas com a produção praticamente toda vendida mostravam que o consumidor aprovou o novo formato. Sérgio Melo (segunda foto abaixo), que comercializa carne na gordura, frango caipira e ovos foi um deles. Segundo o produtor, a quantidade comercializada foi a mesma antes da interrupção dos trabalhos no mês de março. O produtor Joaquim Soares Neto (primeira foto abaixo) também afirmou o mesmo e no final da feira sobraram apenas quatro cabeças de alface, produto que ele levou em maior quantidade.

Apoio fundamental

As parcerias foram fundamentais para que a Feira pudesse retornar em praça pública. Nubia Vilela, chefe da Divisão de Suporte Agropecuário e Piscicultura da Prefeitura de Carmo do Rio Claro, destacou que esse momento era esperado pelos produtores e que o apoio do Sistema FAEMG/SENAR/INAES com as capacitações foi essencial para a realização do trabalho. Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Tony Lemos, o retorno recebido das pessoas que passaram pela feira foi muito bom. “Tudo correu dentro das expectativas e o mais importante foi a Feira voltar a funcionar dentro das normas de segurança”.

O gerente Regional do Sistema FAEMG/SENAR/INAESem Passos, Rodrigo de Castro Diniz, destaca a importância da retomada dos trabalhos pelos produtores rurais. “Nós percebemos que a importância desse trabalho é a viabilidade das pessoas voltarem a ter renda, voltarem ao seu trabalho, com segurança, e prevenção adequada contra a Covid-19”. Sebastião Cesar Lemos, prefeito do município, declarou o quanto estava feliz com o retorno da feira depois de 100 dias de interrupção. “A expectativa é muito boa para os feirantes e consumidores. A tendência agora é só melhorar”. A Feira, que tem capacidade para 45 barracas, voltou reduzida, com 28 produtores. Os demais, que integram o grupo de risco para coronavírus, retornarão em momento oportuno.

As instrutoras que capacitaram os produtores, Arlyna Franklin e Nycole Israel destacaram a boa adesão dos produtores aos novos protocolos de trabalho e a ansiedade pelo retorno. “Todo mundo veio usando máscara e o distanciamento foi mantido. Pedimos que a população se adapte ao novo tempo de prevenção ao coronavírus”, ressaltou Arlyna.

Cláudia Brito, fabricante de licores