Cursos auxiliam produtores de Candeias na construção de barraginhas e operação de máquinas agrícolas

Produtores de Candeias, no Sul de Minas foram capacitados no curso de Retroescavadeira / Construção de Barraginhas. As aulas foram ministradas pelo instrutor do Sistema Faemg Senar Minas, Eugênio José da Silveira, engenheiro agrônomo. O curso foi realizado em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Candeias.

O treinamento ensinou para o aluno produtor técnicas seguras e a forma correta de como construir barraginhas. O procedimento tem vários objetivos como: evitar erosão do solo, ajuda no aumento de infiltração e retenção da água e propicia melhorias nas condições e conservação no solo, aumenta a vazão de água nas nascentes existentes e ainda aumenta a disponibilidade de água, com técnicas que não agridem o meio ambiente. O Sindicato dos Produtores Rurais foi um grande incentivador e identificador desta demanda, através de seu mobilizador e presidente; desta forma pudemos levar tal tecnologia ao meio rural da região”, comenta o gerente regional Wander Magalhães Júnior. Os alunos também seguiram as normas de segurança e prevenção contra o Covid-19, utilizando máscaras, o distanciamento e álcool em gel.

A turma também participou do curso de Escavadeira / Retroescavadeira / Manutenção e Operação. Segundo Eugênio, nesse treinamento o aluno aprendeu a manusear a máquina na construção da barraginha, obtiveram conhecimento prático e teórico do operacional do equipamento. Foram informados ainda sobre a Normativa NR31 de segurança e Saúde no trabalho, as regras do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA, condução da máquina em vias públicas e, posteriormente na parte da mecanização, manutenção, check list, funcionalidades e o trabalho na prática, com as técnicas recomendadas, com segurança e saúde ao trabalhador. “O curso é fundamental para evitar o risco de acidentes aos operadores. Fizermos três construções, por meio da técnica conservacionista: duas grandes e uma de porte médio porte – a aceitação foi excelente”, conta o instrutor.

O aluno Hugo de Almeida Alves, de 21 anos, graduando em agronomia, fez os dois cursos. Ele diz que não sabia como era e nem a importância de uma barraginha: “No curso obtive o conhecimento necessário. Sei que é para ajudar o solo, o meio ambiente, para reabastecer e melhorar o lençol freático. Fui criado e sou da região do cerrado, solo complicado para plantação. Agora sei como proceder. Devo esse conhecimento adquirido ao Senar; só tenho a agradecer pelas técnicas que aprendi”.