Paixão pela pecuária leiteira: produtor de Carvalhópolis investe na inseminação artificial

“Começar o dia sem um copo de leite fresquinho é sinal que nada vai dar certo”: com essa frase, o produtor Álvaro Julião Domingues, de Carvalhópolis, explica a sua paixão pela pecuária leiteira. Filho de pecuarista, já atuou também como retireiro, mas é na sua propriedade, o Sítio Três Irmãos, de 3 hectares e meio, onde trabalha com a dupla mineira que sempre fez sucesso: O café com leite. Dedicado a atividade, Álvaro começou a implantar mudanças há três anos, quando comprou um resfriador de leite, mas foi através dos cursos do Sistema Faemg/Senar Minas que a sua vida de pecuarista começou a mudar.

A convite do Sindicato dos Produtores Rurais de Machado, os filhos de Álvaro participaram dos cursos de motosserra e solda, e depois foi a vez de Álvaro, que fez os treinamentos de cria e recria de bezerras, inseminação e qualidade do leite. O curso de inseminação foi o grande divisor de águas no desenvolvimento da sua propriedade. “Eu chamava um veterinário aqui e ele inseminava seis vacas, mas somente uma enxertava. Eu ficava com um custo benefício muito alto. Já estava para desistir da atividade, quando fiz o curso de inseminação”.

Álvaro relata que achou o curso bem puxado, mas que conseguiu concluir. Depois de dois meses, comprou todo o material necessário para o trabalho e o botijão para o sêmen, e assim começou a inseminar. Começou do zero: vendeu o touro que tinha e começou a selecionar os animais. A primeira inseminação não foi fácil, precisou repetir a técnica. Mas hoje tem oito vacas mojando e espera o início da parição para o mês de julho. Ele trabalha com as raças holandês ¾ e Girolando. Com essas mudanças na propriedade, com foco na produtividade e qualidade do produto, ele espera saltar de 100 litros/dia para 200 litros/dia e a meta é crescer ainda mais.

“Eu tinha noção de que sabia fazer, mas faltava a forma correta para trabalhar. Sempre gostei de inovação e sabia que vender o leite no latão não dava mais. Assim, parti para o resfriador e as mudanças foram gradativamente chegando. Com os cursos do Sistema Faemg/Senar Minas vi que precisava selecionar o rebanho”, contou Álvaro. Com o conhecimento adquirido, o produtor já insemina os animais do seu pai e também atende alguns vizinhos. “Mais do que isso não dá para fazer, porque tenho minhas atividades no sítio e tudo demanda tempo e dedicação”, explica.

Álvaro aguarda ansioso a parição das vacas e se prepara para aumentar o rebanho. Os números da sua produção vão para o índice do Sul de Minas, que lidera o ranking do Estado. O Brasil é o quarto maior produtor de leite do mundo e Minas Gerais lidera a produção nacional com 8,9 bilhões de litros. O Sul de Minas lidera a produção no Estado com 17,7% do total da produção.