Produtores de Candeias aprendem a fabricar produtos derivados do leite

A Sistema Faemg / Senar Minas e o Sindicato dos Produtores Rurais de Candeias promoveram no município o curso de Produtos Derivados do Leite/Básico, ministrado pelo instrutor Cyro Daniel Campos. A turma aprendeu a fabricar queijos, iogurtes e doces diversos, por meio das boas práticas de fabricação. Os alunos receberam orientações quanto a análise do leite, limpeza, sanitização do local, qualidade dos produtos utilizados e ingredientes. Como parte do curso, a turma aprendeu sobre comercialização (embalagem, rotulagem e custo de produção). Segundo o mobilizador de Candeias, Antônio Carlos Salviano, foram só elogios recebidos.

“Agradeço os ensinamentos que cada um compartilhou comigo. Todos nós buscávamos juntos conhecimentos e aprendizado e com a graça de Deus o objetivo foi alçado”, diz a aluna Michela Simões. A aluna Dara Joana Lopes diz que, antes do curso, demorava para fazer um queijo de apenas 800 gramas, e utilizava muito leite. Após o treinamento, ela conseguiu diminuir a quantidade de matéria prima e também o tempo: “Em 15 minutos consegui fazer um queijo de 1 kg, com apenas 6 litros de leite. Agradeço ao instrutor pelas dicas. Aprendi muito com todos”, conta Dara.

Alessandro Salviano Moreira, que já vende produtos derivados do leite, diz que participar dos cursos do Sistema Faemg / Senar Minas é uma oportunidade de profissionalizar e conquistar o mercado consumidor. “Foram tantos conhecimentos passados e tantos adquiridos, que já quero colocar tudo em prática. Gratidão a todos os envolvidos”.

A aluna Alessandra Ferreira Gonçalves também agradeceu a oportunidade e esforço das entidades em realizar o curso: “Totalmente prático, instrutor qualificado com uma ótima didática de ensino. Que além do material do curso, ainda nos deu informações sobre produtos, qualidade que nos enriqueceu ainda mais de conhecimentos; sou totalmente grata”.

“Eu já fazia alguns produtos ensinados no curso, porém sem técnica. Isso causava perdas. Com o treinamento vou produzir mais, e com possibilidade de ter uma renda maior e produtos melhores. A energia positiva da turma também foi algo inexplicável e marcante”, diz a aluna Neuza Maria de Oliveira.