Importante parceria levará quatro edições do Sucessão no Campo para o Sul e Matas de Minas

O superintendente do Senar Minas, Christiano Nascif, recebeu na manhã desta segunda-feira (6) Elio Cruz de Brito, diretor geral da Fundação Hanns Neumann Stiftung do Brasil para a assinatura de um termo de cooperação técnica e financeira entre as entidades para realização de quatro programas Sucessão no Campo. Celso Furtado Júnior, assessor de planejamento do Senar, um dos idealizadores e gestor do programa, também acompanhou a reunião, feita na sede do Sistema Faemg, em Belo Horizonte.

A partir da esquerda: Elio Cruz Brito, Christiano Nascif e Celso Furtado Jr.

De acordo com Celso Furtado Jr., apesar da Fundação já ser parceira de longa data do Sistema Faemg/Senar em outras ações, neste programa a cooperação entre as entidades é inédita no sentido de estimular o processo sucessório dos negócios familiares no campo. A Fundação já teve uma experiência similar no projeto piloto do programa com bons resultados, então agora vão investir, conta Celso. A partir de junho, o objetivo é atender 40 propriedades e cerca de 120 pessoas nas regiões Sul e Matas de Minas, unindo sucessores e sucedidos dos negócios rurais.

Elio Cruz contou que a Fundação Hanns Neumann pretende criar um programa maior e mais abrangente voltado para os jovens tendo o Sucessão no Campo como ponto de partida. "Queremos fazer uma ação mais estruturada e coordenada pela família, levando a um processo sucessório mais moderno, uma evolução de pai para filho". O diretor geral ainda revelou que eles pretendem contar com os técnicos da entidade para ajudar na mobilização das turmas e capacitá-los para que multipliquem o programa para outras unidades da Fundação fora do Brasil, "pois a sucessão é um problema global".

Sintonia de ações

O superintendente Christiano Nascif mostrou-se satisfeito com a conversa e com a assinatura do termo entre Senar e Fundação Hanns Neumann. Na opinião dele, muito se fala sobre o gargalo da sucessão no campo, mas pouco está sendo efetivamente feito para resolver o problema. "Temos muito o que avançar ainda junto com a Fundação Hanns Neumann. Estamos em sintonia na parceria com este e outros projetos, e é muito bom ver que estamos caminhando na mesma direção", disse.

"Os projetos da Fundação não visam atender às cadeias comerciais, mas antes atender às pessoas, pois acreditamos que pessoas bem preparadas levam a cadeias mais produtivas", destacou Elio Cruz Brito.