até
quarta-feira, 8 de julho de 2020
Terreiro suspenso dentro da lavoura leva praticidade e inovação para família de cafeicultoras
Lílian Moura, de Viçosa

Marinês Batista Aguiar e as filhas Maria Clara (na foto abaixo, à direita) e Maria Cândida Aguiar Batista se dedicam à produção do café especial Grãos da Montanha há dois anos. Além de contar com a ajuda do Sistema FAEMG/SENAR/INAES nesse trabalho, agora elas otimizaram o processo pós colheita construindo um terreiro suspenso dentro da lavoura na Fazenda Pouso Alegre, localizada no Corrégo dos Teixeiras, em Martins Soares, onde moram.

A inovação foi criada pelo engenheiro agrônomo e doutor em fitotecnia Milton Pereira Flores, que também é instrutor do SENAR. Ele ensinou a técnica à família durante o curso Colheita e Preparo de Café - Pós Colheita Via Seca, que foi promovido em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Manhumirim e Prefeitura de Martins Soares. Segundo Marinês, “o curso agregou muito conhecimento. Conseguimos tirar algumas dúvidas teóricas e aprender sobre práticas aparentemente corriqueiras, mas que fazem a diferença e facilitam o dia a dia”.

Para a produtora, a tecnologia do que chamam de “terreiro de passagem” resolveu uma questão logística, já que a lavoura fica longe dos seis terreiros suspensos, também construídos na propriedade após cursos do SENAR. A instalação feita com paletes e sombrite “foi muito eficiente, porque o grão já começa o processo de secagem lá na lavoura mesmo e sem contato direto com o chão ou outras impurezas”, relatou Marinês.

Milton reforça que “o início precoce da secagem e a limpeza contínua do café sobre os terreiros evitam qualquer risco de formação de ‘água-livre’ na massa dos grãos, evitando a fermentação e formação de massa de resíduos em decomposição, garantindo a melhoria da qualidade do produto”.

Facilidade com foco na qualidade

Segundo Milton Pereira Flores, a construção do terreiro suspenso na lavoura facilita e melhora o processo pós-colheita com foco na qualidade. Ele explica que os cafeicultores ganham tempo e aproveitam o espaço dos carreadores e caminhos da lavoura que, normalmente, têm elevada exposição solar e ventilação.

“Colocar o café recém-colhido e peneirado em terreiros suspensos instalados na lavoura favorece a grande perda de água que acontece nos primeiros três a quatro dias imediatosà colheita. Nesses terreiros podem ser colocados cargas de até 40 litros de café/m2 em três ou quatro turnos por dia”, esclarece.

Os terreiros dentro da lavoura podem ser instalados por andares nivelados, como se fossem prateleiras, gerando melhor utilização do espaço. Além disso, “a declividade dos carreadores facilita as operações de carga e descarga manual por deslizamento da massa de grãos”.

O especialista também aponta que “as instalações resultam em um menor custo por transporte do café recém-colhido e acabam com a dificuldade do traslado entre a lavoura e o terreiro. O terreiro suspenso na lavoura também elimina o custo da limpeza de resíduos durante a secagem, e permite um maior e melhor controle das operações da colheita e pós-colheita”.

Para o futuro

Essa tecnologia ainda pode ser melhorada de diversas formas e é mais um avanço na busca por cafés de melhor qualidade, segundo Milton. Para ele, “cafés de pior qualidade estão com os dias contados. Essa inovação deve ser usada para beneficiar as famílias cafeicultoras e de toda a cafeicultura brasileira”.

Últimas notícias publicadas
06/08/2020 Reutilização artesanal do tomate e produção de condimentos estimulam geração de renda extra em Capelinha
06/08/2020 “Feira Segura” em Carangola agrada produtores e consumidores
04/08/2020 Grandes aliadas do homem do campo, motos ganham curso novo do SENAR MINAS
04/08/2020 Trabalhadores no corte e traçamento de madeira são treinados pelo SENAR
04/08/2020 Preocupada com incêndios em tempo seco, Grão Mogol capacita brigadistas com o SENAR
04/08/2020 Curso Manutenção de tratores é destaque do MG Rural no próximo domingo
04/08/2020 "Nem parece o mesmo": Programa 5S melhora gestão no Grupo ER, em Buritis
04/08/2020 Capacitação online sobre defensivos promove boas práticas no uso dos produtos para segurança alimentar e ambiental
03/08/2020 Curso de Turismo Rural faz produtora de Juiz de Fora ver fazenda com outros olhos
03/08/2020 Produtora da Zona da Mata afirma que SENAR a fez enxergar “grandes possibilidades”
Ver todas
FAEMG
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3000
E-mail: faemg@faemg.org.br
Senar Minas
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3074
E-mail: senar@senarminas.org.br
INAES
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3109
E-mail: inaes@inaes.org.br
Sindicatos
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3028
E-mail: asind@faemg.org.br