até
terça-feira, 26 de novembro de 2019
Produtoras de Divinópolis: Porta a porta conquista mercado da culinária artesanal
Denise Bueno, de Passos

A produção artesanal de doces e derivados do leite em Divinópolis tem crescido com a decisão de produtoras rurais investirem na atividade. Umas após a aposentadoria, outras por gostar de simplesmente cozinhar. Assim, com vendas no porta a porta, pela internet ou entre amigos, os produtos têm conquistado a cada dia mais clientes. Essa pequena mudança, que pode crescer, é realizada pelo Sindicato dos Produtores Rurais que tem capacitado às produtoras através dos cursos do SistemaFaemg/SenarMinas.

Vera Lúcia da Silva Faria (à esquerda) aprendeu a fazer muitos quitutes com a avó, mas foi no curso do Senar Minas que aprendeu algumas técnicas que a levaram para a Feira de Pedra do Indaiá. Tudo começou quando ganhou uma barraca da feira, embora nunca tenha se imaginado feirante. A questão é que começou a gostar da atividade, mesmo com aquele início difícil, o que é comum para a maioria das pessoas.  

Todo sábado ela está na Feira comercializando uma série de produtos, entre eles o iogurte que aprendeu a fazer com o Senar e que é sucesso garantido. Ela também comercializa doces, queijos e quitandas. “A minha barraca é da diversidade. Vendo vários produtos”. O que ela não vende na feira, comercializa no porta a porta e assim já se passaram dois anos.

A professora aposentada, Izabel de Cássia Ferreira Mori Gomide (à direita), sempre gostou de cozinhar. Moradora da zona rural de Divinópolis, ela tem apostado na produção de geleias e criou a marca “Delícias da Cássia”, depois de participar de curso do Senar. “No curso aprendemos as medidas certas e os processos corretos para a comercialização”. Izabel trabalha com as frutas produzidas na sua propriedade, o Sítio Santa Rosa, e sempre com as frutas de época. As vendas são feitas no porta a porta e via a sua rede de contatos.

Com foco na produção de orgânicos, as produções seguem essa linha nos sabores de jabuticaba, pitanga, amora, tomate com pimenta, abacaxi com gengibre. Segundo a produtora ela já espera a safra de goiabas para as próximas tachadas de geleias.

As Delícias da Dindinha (à esquerda), da produtora Eliana de Fátima Soares, abrange uma linha de derivados do leite com a produção de ricota e queijos e produtos sem glúten e lactose, que são o seu carro chefe. Dindinha, como é conhecida, aprendeu com o Senar e se especializou. Hoje produz roscas, bolachas, bolos e pudim para atender esse público específico.

Eliana mudou de atividade com o início da crise financeira no país. Ela trabalhava no setor de confecção e desistiu com as dificuldades geradas pela crise. Após se especializar pelo Senar Minas, apostou na culinária. Deu certo. As vendas ela faz no porta a porta e tem resultado satisfatório.

“O Senar para mim foi uma faculdade”. Com essa frase a produtora Genesi Lopes da Silva (à direita), fala da sua produção de derivados do leite. Ela trabalha de segunda a quinta-feira com 700 litros de leite/dia que transforma em queijo, doces, iogurte e requeijão. “Hoje a minha renda é toda da minha produção”. Além de atender o porta a porta, ela também entrega para revendedores. “Eu já tenho uma clientela fixa e toda sexta-feira eu saio para vender. Trabalho muito, mas o resultado é muito bom”.

Outro sonho realizado é o da Jacqueline Moraes do Carmo que após a sua aposentadoria como bancária resolveu apostar na culinária, afinal a produção de doces e o artesanato foram os seus lazeres ao longo da vida. “Sempre apreciei os doces de frutas, especialmente os cristalizados, e buscava experimentá-los na cozinha da fazenda, com auxílio de uma ou outra receita. Em 2018, me aposentei com uma imensa vontade de fazer somente o que eu gostava. Procurei os cursos do Senar para aprimorar meus conhecimentos”.

Jacqueline (na foto da esquerda, com a mobilizadora Elena) fez o curso de Produção Artesanal de Doces em maio de 2019, o que despertou o seu interesse em montar um negócio nesse segmento, unindo a sua paixão com a disponibilidade dos frutos produzidos na sua fazenda. Ela também fez o curso de marketing e assim surgiu a marca Doces da Jackie. “É um sonho em realização, onde prazerosamente faço a arte de fazer doces”.

Segundo a mobilizadora do Sindicato Rural, Elena Martins Rodrigues, é muito gratificante  contribuir para a realização de tantos projetos. “Ver que os cursos realizados estão dando frutos me deixa entusiasmada e otimista. E é esse otimismo que sempre procuro levar para os produtores rurais, fazendo com que eles entendam que os cursos do Senar Minas ensinam a produzir mais, melhor e transformam vidas”, concluiu Elena.

Últimas notícias publicadas
21/02/2020 Sistema FAEMG / SENAR MINAS e Embrapa discutem novo acordo de cooperação e programação da SIT 2020
21/02/2020 GQC: cafeicultores apostam na gestão para alavancar o negócio rural
21/02/2020 Cursos ensinam produtores do Sul de Minas a fabricarem queijos básicos e especiais
21/02/2020 Moradores de Brasópolis passam por curso de Prevenção de Acidentes e Primeiros Socorros
21/02/2020 Regional de Passos realiza reuniões sobre o Programa ATeG
21/02/2020 Criatividade: Instrutor cria sistema com garrafa pet para manter mudas sempre irrigadas
20/02/2020 Negócio Certo Rural levará orientações e consultorias para produtores de café de Divino
20/02/2020 Programa ATeG: Encontros definem novas diretrizes de trabalho na Regional de Montes Claros
20/02/2020 Curso A Arte de Ser Adolescente agrada jovens em Itaobim
20/02/2020 Programa ATeG: Produtores de leite se reúnem em Araçuaí
Ver todas
FAEMG
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3000
E-mail: faemg@faemg.org.br
Senar Minas
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3074
E-mail: senar@senarminas.org.br
INAES
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3109
E-mail: inaes@inaes.org.br
Sindicatos
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3028
E-mail: asind@faemg.org.br