até
segunda-feira, 7 de novembro de 2016
Funcafé destina R$ 20 milhões para recuperar cafezais no País
Diário do Comércio
O diretor da FAEMG, Breno Mesquita, diz que “o recurso disponível é pequeno frente aos problemas enfrentados na produção. Em Minas Gerais, a região Sul foi a mais afetada. Lá, muitos produtores registraram perdas em função de geadas e de chuva de granizo”.
 
Os cafeicultores de Minas Gerais e demais regiões que registraram perdas na produção em função das variações climáticas já podem contratar a linha de financiamento para operações de Recuperação de Cafezais Danificados do Funcafé (Fundo de Defesa da Economia Cafeeira). Ao todo, estão disponíveis R$ 20 milhões. O valor, apesar de ser considerado pequeno, é fundamental para o setor, já que muitos produtores do Sul do Estado tiveram os cafezais devastados por geadas e chuvas de granizo na safra 2016. No Espírito Santo, onde a demanda pelos recursos tende a ser ampla, o problema foi a estiagem severa.
 
Segundo o diretor da FAEMG e presidente das Comissões de Cafeicultura da Faemg e da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Breno Mesquita, os produtores que já estão com as perdas comprovadas tecnicamente devem buscar as entidades financeiras que operam as linhas do Fucanfé o mais rápido possível.
 
“No momento atual, o mais importante é que o produtor, cujo cafezal foi afetado e que já foi oficializada a comprovação técnica, busque rapidamente as entidades financeiras para ter acesso ao crédito. O recurso disponível, R$ 20 milhões, é pequeno frente aos problemas enfrentados na produção. Em Minas Gerais, a região Sul foi a mais afetada. Lá, muitos produtores registraram perdas em função de geadas e de chuva de granizo”, explicou Mesquita.
 
A linha de Recuperação de Cafezais Danificados foi criada há mais de cinco anos e garante recursos para que o cafeicultor invista na recuperação das áreas atingidas e tenha condições de se manter ativo na atividade. Mesquita explica que ao longo dos últimos anos, a linha de crédito foi pouco demandada e para que ela não fosse extinta foram reservados apenas os R$ 20 milhões.
 
Frente as perdas provocadas pelas geadas e pelas chuvas de granizo em Minas Gerais e a severa seca observada no Espírito Santo, o recurso para o atual ano produtivo é considerado pequeno. Por isso, as entidades representantes do setor já estão buscando meios que possam ampliar o volume de crédito disponível já a partir da próxima safra.
 
“Mantivemos este valor para que a linha não fosse extinta. Dessa forma, o acesso ao crédito é mais ágil. A linha é fundamental para o produtor que registrou perdas. Ao acessar os recursos, ele terá três anos de carência e mais três para quitar o valor”.
 
De acordo com as informações divulgadas pelo CNC (Conselho Nacional do Café), os recursos podem ser acessados por produtores que tiveram, no mínimo, 10% da área das lavouras cafeeiras danificadas por chuvas de granizo, geadas, vendavais ou outros fenômenos climáticos.
 
O financiamento deve ser destinado à recuperação e replantio da área afetada, conforme orçamento, que deve ser acompanhado de laudo técnico que delimite a área prejudicada, a intensidade das perdas decorrentes do evento e identifique a forma de recuperação da capacidade produtiva dos cafezais.
 
O MCR (Manual de Crédito Rural) define que o limite de empréstimo é de até R$ 3 mil por hectare, restrito a R$ 400 mil por produtor. O período de contratação se estende de janeiro a dezembro, com a formalização ocorrendo até 10 meses após a ocorrência do evento climático.
Últimas notícias publicadas
13/12/2019 FAEMG apresenta balanço de 2019 e perspectivas do agro mineiro para 2020
12/12/2019 Trabalhadores rurais aprendem a trabalhar com solda, em Lagamar
12/12/2019 Sindicato de Ibiraci será entidade cooperada do SENAR MINAS em 2020
12/12/2019 Famílias da região de Varginha investem no processo de Sucessão no Campo
12/12/2019 Descoberto recebe curso de Reutilização de Materiais / Embalagens
12/12/2019 Projeto ABC Cerrado é agraciado com o “Prêmio Natureza Gerais”
12/12/2019 Jovem aponta a importância do Sistema FAEMG / SENAR MINAS na definição do seu negócio
12/12/2019 Casal responsável por queijo premiado de Alagoa fala sobre a importância do Sistema FAEMG / SENAR MINAS
12/12/2019 Novos talentos são descobertos em curso de laticínios e afins em Ubá
12/12/2019 Feira de hortaliças marca encerramento do Programa Jovem no Campo em Belmiro Braga
Ver todas
FAEMG
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3000
E-mail: faemg@faemg.org.br
Senar Minas
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3074
E-mail: senar@senarminas.org.br
INAES
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3109
E-mail: inaes@inaes.org.br
Sindicatos
Avenida do Contorno, 1.771 - Floresta
Belo Horizonte – 30.110-005
Fone: (31) 3074-3028
E-mail: asind@faemg.org.br